Valença vira sede de Downhill na região

Por Paulo Henrique Nobre

Uma modalidade esportiva está começando a marcar história aqui na cidade de Valença. É o Downhill (DH) Urbano. O esporte é marcado pela adrenalina derivada das manobras de alto risco e da velocidade dos atletas para vencer o relógio. Aqui na cidade, o Downhill acontecerá pelo 2º ano consecutivo na Praça Emília Jannuzzi, no Bairro São José das Palmeiras. De acordo com a organização, Valença é o único município da região a sediar esse esporte na modalidade Urbano.

A 2ª Copa de Downhill Urbano de Valença acontecerá nos dias 25 e 26 de Maio. O vereador David Nogueira participa da organização e conta que o evento de Downhill Urbano nasceu em 2018, de uma mobilização de uma galera que já praticava o esporte. Ele lembra que, quando foi procurado pelos atletas, informou do Projeto que já realiza – o Praça Viva -, que busca preservar e valorizar o espaço. Foi, então, segundo o vereador, que nasceu o evento, na modalidade Downhill Urbano, o mesmo tipo praticado, por exemplo, nas Escadarias de Santos. Em Valença, o circuito percorre as escadarias e segue, passando por vários obstáculos na rua Antonio A. Siqueira até chegar no Campo do Olaria (Bairro Água Fria).

– Fizemos um projeto ousado, que foi a 1ª Copa de Downhill Urbano que teve em Valença (2018). Protocolamos esse pedido na Federação Estadual de Ciclismo, na FACIERJ, e também na Confederação Brasileira de Ciclismo. E hoje, a gente criou esse evento juntamente com a equipe Bora Bora, que é realizado em Valença em parceria com a Prefeitura.

No ano passado, houve um fluxo avaliado em cerca de 3 mil pessoas, formado por atletas, turistas e curiosos. De acordo com a organização, a previsão para este ano é que este número dobre. Além da programação normal, que conta com treino livre e reconhecimento de pista no sábado, dia 25, e a prova no domingo, dia 26 (a partir das 9:00hs), haverá ainda show da banda Crazy Head na noite do sábado. Segundo David, o evento já conta com inscrições de atletas de Matias Barbosa, Miguel Pereira, Paty do Alferes, Rio de Janeiro, do Espírito Santo, Juiz de Fora, Barra Mansa, Volta Redonda, Barra do Piraí e aqui da cidade. Para ele, a competição tem forte impacto para a cidade, do ponto de vista esportivo e turístico.

– Vamos receber pelos menos umas 400, 450 pessoas de fora. Cria um fluxo de pessoas diferentes. Cria um fluxo de turistas que vão conhecer a cidade. Vão conhecer a praça, que é uma praça linda e vão experimentar um pouco da nossa cidade, um pouco do que podemos mostrar. É o único evento de Downhill Urbano de todo o Médio Paraíba. Ele cria uma sinergia muito grande e incentiva a prática por parte de pré-adolescentes. Os moradores do Bairro São José das Palmeiras ficam muito orgulhos de ver o bairro, a sua praça, sediando um evento dessa importância.

Downhill

Quem garante presença é o atleta Lucas Alves Dantas, do bairro Laranjeiras. Ele pratica o esporte há 10 anos, tendo participado do Campeonato Brasileiro de DH em Paraibuna-RJ e de etapas do campeonato carioca em diversas cidades do estado, além de provas em Minas Gerais. Lucas conquistou boas colocações no DH: 4° lugar na copa Rio-Minas DH (2017); e campeão na categoria Elite da 1° Copa DHU de Valença (2018).

– Sempre fui amante do esporte, tendo iniciado diretamente no Downhill, sem passagem por outra modalidade do MTB.

Segundo Lucas, o Downhill é uma modalidade onde o piloto desce determinado trajeto no menor tempo possível. É um esporte individual e, geralmente, acontece em trilhas de montanhas. Nesta edição, a organização traz uma proposta bem urbana para o esporte, com a presença de elementos como saltos sobre carros nas vias públicas, salto em cima de um caminhão, descidas de escadas e etc.

Pensamento rápido

Ulisses Rodrigues Dias filho, de 21 anos, do Bairro Cruzeiro, também competirá na 2ª Copa. Ele corre há mais de 10 anos e alega ter começado no DH, esporte que pratica até hoje. Ele participa de competições desde 2010, em campeonatos carioca e mineiro, em várias cidades desses dois estados. As melhores colocações dele foram o 5° lugar na categoria Juvenil e o 4° lugar na categoria Expert. Ulisses fala das características do atleta de Downhill.

– O atleta do DH é um piloto que, além do preparo físico em dia, precisa de muita técnica. Os percursos são muito rápidos, então é um cara que deve ficar à vontade com altas velocidades e conseguir pensar e decidir bem rápido, além de ser muito preciso. Mas o principal é que vai ser o camarada mais feliz que você vai conhecer na vida, hahahaha -, ri Ulisses.

Segundo ele, Valença possui um lugar único para praticar o downhill que é a Serra dos Mascates (Torre). Além disso, conta, o esporte é fundamental, principalmente para a molecada mais nova, especialmente o mountain bike. Quem também aguarda ansioso a Copa é o Leonam José Teixeira Ramos. Ele tem 27 anos e reside no Centro. Leonam é praticante da bike desde os 7 anos, mas corre de DH desde 2015. Ele explica que as bicicletas de DH têm o funcionamento mais específico para passar em diversos tipos de terrenos.

– Desde pedra e raiz até lama e areia solta. A bicicleta tem um diferencial de freios, com 2 a 4 pistões fazendo a frenagem mais eficaz. E amortecedores na frente e no meio do quadro para fazer a compressão de impactos bem e o retorno dos saltos também.

Curta e compartilhe nas redes sociais:
error
                           
Comentários

Leave a Reply